Micro Contos ao vivo na Guarda

Micro Contos Festival Guarda

Após uma paragem voltou a haver Micro Contos ao vivo. No fim de semana de 25 e 26 de Março, rumei a norte, até à bela cidade da Guarda e lá tive a enorme alegria de participar no Festival Isto (não) é um festival, organizado pelo Município da Guarda e pela Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço.

A viagem começou bem cedo.

Para um percurso tão longe tive de pedir um carro emprestado a um amigo. O meu carro é bem velho e não aguenta distâncias longas. Foi neste contexto que aproveitei para fazer uma música de homenagem ao meu carro. Ao longo das mais de 6 horas de viagem, deu para fazer uma música que tive oportunidade de mostrar pela primeira vez na Guarda.

Apresentar os Micro Contos ao vivo é sempre uma alegria. Sobretudo agora que o Covid-19 veio trazer tantas limitações e cancelamentos de espetáculos. Esta foi a primeira apresentação ao vivo, depois de ter estado em Março, no festival “Maré de Contos”, em Tavira. Por isso, parti com uma motivação extra.

Ao chegar à Guarda fui recebido com enorme simpatia pela equipa da biblioteca Eduardo Lourenço. Senti-me imediatamente em casa. Ainda cheguei a tempo de ouvir a última sessão de contos ao vivo do contador de histórias Jorge Serafim. Para além de ser um dos meus narradores favoritos, é um amigo que tenho bem junto ao coração e com o qual aprendo sempre imenso ao ouvi-lo contar.

Jorge Serafim a contar histórias na Guarda

Depois de descansar da longa viagem e de dar um passeio pelo centro histórico da Guarda, domingo foi o momento de apresentar os Micro Contos ao vivo. O palco estava montado no Parque Urbano do Rio Diz, um espaço amplo, com muitas árvores com sombra e relva para que todos pudessem assistir aos contos em segurança. Sentados na relva, à sombra, estiveram gentes de todas as idades. Desde os mais pequenitos, até aos mais velhos, foi uma alegria ver sorrisos ao vivo.

Foi um espetáculo diferente do habitual.

Parecia quase a primeira vez e o nervosismo inicial notou-se, pelo menos, eu notei. Ao longo da sessão de contos ao vivo, não só contei as minhas pequenas narrativas, como também cantei algumas músicas originais. Fiquei contente como correu e penso que daqui em diante, as canções passarão a fazer parte dos Micro Contos ao vivo mais vezes.

Micro Contos ao vivo na Guarda

O caminho faz-se contando e, em breve, virão novas sessões de Micro Contos com público. Olhos nos olhos, coração no coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *